Por CIPA
Em 18/07/2016
1254 Views

Atualmente, percebemos que muitas empresas se esforçam para dar ao cliente o melhor tratamento que ele pode ter. Isso faz parte de um trabalho de fidelização, que busca a satisfação do freguês e a lealdade dele com a marca. É possível acompanhar um movimento semelhante nos condomínios, onde os síndicos tentam levar bem-estar e conforto para os condôminos, seja através de grandes obras, seja através de pequenos ajustes e instalações que facilitam a vida de todos. A instalação de bebedouros nas áreas comuns é um desses pequenos ajustes que melhoram a vida de todos nos condomínios, principalmente se levarmos em consideração o verão carioca, com temperaturas máximas que passam dos 40º.

A saúde está diretamente ligada à qualidade da água que consumimos todos os dias, e é de conhecimento geral que a água é vital para o funcionamento do corpo humano. Ela representa cerca de 60% do peso de um adulto e exerce várias funções para garantir o equilíbrio e o bom funcionamento do organismo. Ela é o principal componente das células e um solvente biológico universal, por isso, todas as nossas reações químicas internas dependem dela. A água também é responsável por transportar alimentos, oxigênio e sais minerais, além de estar presente em todas as secreções, como o suor e a lágrima, no plasma sanguíneo, nas articulações, nos sistemas respiratório, digestivo e nervoso e na pele. Ela também regula a temperatura e a hidratação do corpo, além de desempenhar importante papel no processo renal ao eliminar toxinas pela urina. Por tudo isso, sua falta no organismo é sentida rapidamente pelo corpo, que emite sinais, como a sede, que indica que a pessoa já extrapolou o tempo que poderia ficar sem ingerir água. Especialistas recomendam que sejam consumidos entre dois e três litros de água diariamente, o que nem todo mundo segue, muitas vezes, por falta de um bebedouro por perto. Ficou até com sede, né?

O uso de bebedouros nas áreas comuns dos condomínios não é obrigatório, mas é recomendável e demanda a atenção dos síndicos para sua limpeza e manutenção. Existem, no mercado, três tipos principais de bebedouro, cada um com suas vantagens e desvantagens, que devem ser observadas pelo síndico antes da escolha e instalação. São eles: de torre (de inox); de galão e de parede. Os de torre têm um custo mais baixo e não há necessidade de disponibilizar copos descartáveis para seu uso. Eles necessitam de pontos hidráulico e elétrico, rendem cerca de quatro litros por hora e atendem uma pessoa por vez. Os de galão não necessitam de ponto hidráulico, mas demandam compra e estoque de galões para suprir as necessidades diárias do condomínio, que variam de acordo com o número de usuários. Alguns modelos disponibilizam duas temperaturas de água, mas a grande desvantagem é que pode haver contaminação no manuseio e na instalação do galão, por isso, é necessário um cuidado maior com a higienização.

Os de parede têm um custo mais elevado, necessitam de pontos hidráulico e elétrico, rendem cerca de 30 litros de água por hora, disponibilizam duas temperaturas de água, atendem duas pessoas ao mesmo tempo e é mais seguro por conta de suas tubulações e filtros, que são embutidos.

Há cinco anos, Marina Lavigne é síndica do Condomínio Lucinha, localizado na zona norte do Rio de Janeiro, que é composto por um único bloco com 108 unidade e tem uma média de 230 moradores. A síndica conta que o condomínio já tem bebedouro há seis anos. “Ele fica localizado no play. Antes os moradores reclamavam muito porque nós tínhamos um bebedouro de torre. Eles diziam que não era muito higiênico. Além disso, ele ocupava muito espaço, tínhamos mais trabalho para mantê-lo limpo, porque ele não saía do lugar nem para a limpeza, ficava fixo em uma plataforma, por isso, decidimos fazer a troca”, explica. Recentemente eles substituíram o bebedouro por um filtro de parede e a troca foi aprovada por todos os condôminos. “Todos adoraram, ele oferece duas temperaturas de água, é mais compacto, mais higiênico, inclusive até já compramos outro, que será instalado na portaria em breve. O único problema é que temos um gasto a mais com os copos descartáveis, mas em geral foi uma ótima substituição”, diz.

Manutenção dos bebedouros deve estar em dia

Tão importante quanto disponibilizar bebedouros nas áreas comuns, cuidar da higienização e manutenção desses equipamentos é fundamental para a saúde dos usuários. Segundo Cristiane Diniz Franca, assistente administrativa da Master Filtros, empresa especializada em venda, conserto e manutenção de filtros, é fundamental uma rotina de cuidados com os bebedouros. “É primordial que os funcionários do condomínio estejam atentos a esse equipamento. Basicamente, é preciso manter a bandeja limpa, higienizar as torneiras com álcool pelo menos uma vez ao dia e mantê-lo em uma área coberta, protegido do sol e da chuva. Também é fundamental fazer uma base para fixar o bebedouro um pouco mais alto que o chão, além de colocar um filtro externo para aumentar a purificação da água”, diz. Ainda segundo Cristiane, é imprescindível trocar o elemento filtrante, no mínimo, a cada seis meses. “O elemento filtrante é composto por carvão ativado e celulose. Sua vida útil é comprometida dependendo da quantidade de impureza que esteja na água. Esse elemento filtrante é o responsável pela retenção de impurezas, inclusive o excesso de cloro que a água possui, por isso, deve ser trocado regularmente”, explica.

A síndica Marina Lavigne conta que aproveita para fazer a manutenção de diversos itens no mesmo período. “Nós fazemos a troca do filtro semestralmente, na mesma época em que limpamos as caixas-d’água e avaliamos a potabilidade da água. A principal vantagem da troca do bebedouro de torre pelo filtro de parede é poder contar com a manutenção de uma empresa especializada”, conta. E a importância da contratação de experts para fazer o serviço é uma questão importante de frisar, já que existem pequenos detalhes que podem ser percebidos mais facilmente por quem trabalha especificamente com esses equipamentos, como explica Cristiane: “Como o bebedouro é algo fundamental em ambientes com muitas pessoas, a contratação de empresas qualificadas é relevante, já que elas fazem revisão e manutenção periódicas, garantindo que o condomínio tenha água filtrada e gelada para atender aos moradores, funcionários e prestadores de serviço. Quando esse acompanhamento não é feito, podem ocorrer vazamentos, principalmente nas torneiras, por conta do manuseio constante delas, e o pinga-pinga pode acabar impactando na conta de água”, diz.

Segundo o Instituto Nacional de Metrologia, Qualidade e Tecnologia (Inmetro), os bebedouros são aparelhos de melhoria da qualidade para o consumo humano, por isso eles precisam seguir as normas do Regulamento de Avaliação da Conformidade (RAC), para garantir a saúde dos usuários. Segundo a Portaria Inmetro 93/2007, todo bebedouro, purificador ou filtro fabricado ou importado no Brasil deve estar em conformidade com os requisitos estabelecidos no RAC, que atende às normas da Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT), nas NBRs 14.908/2004 e 15.176/2004.

 

:: C I P A - Condomínios, Locações, compra e venda de imóveis, seguros ::
  • Rua México, 41, 2º andar - Centro - Rio de Janeiro - RJ
  • +55 21 2196 5000

CIPA na Rede

Receba Notícias