Por CIPA
Em 10/04/2019
44 Views

A eliminação de insetos exige disciplina e conscientização de síndicos, funcionários e moradores

Praticamente uma unanimidade – as baratas estão na categoria das pragas mais odiadas por todos. Sinônimo de sujeira, elas podem estar escondidas em qualquer lugar, costumam se recolher durante o dia e preferem locais quentes e úmidos, especialmente se estiverem próximos às fontes de alimento e água. Muito resistentes, elas estão entre os seres vivos mais antigos e, dependendo do tipo, podem viver por anos. Existem mais de 4 mil espécies de baratas e as mais comuns são as baratas de esgoto ou americanas (Periplaneta americana) e as baratas francesinhas ou alemãs (Blatella germanica). Nos condomínios, elas costumam dar trabalho aos síndicos, que precisam estar atentos ao calendário de dedetização e monitorar de perto a limpeza e a organização de caixas de gordura, lixeiras e outros locais propícios às infestações.

No Residencial Chopin, condomínio administrado pela CIPA que fica na zona norte do Rio, a dedetização é realizada semestralmente e, em caso de necessidade, pode contar com reforço nesse período. Além disso, o cuidado com a limpeza é redobrado. O esforço tem valido a pena e, de acordo com a síndica Lúcia Abreu, há muito tempo, o condomínio não tem infestação, fator que ela credita à imunização realizada sempre em dia.

O condomínio, que possui dois blocos e contabiliza 80 unidades, conta com manutenção diária e conscientização dos moradores. “É um trabalho de equipe. Nós mantemos a dedetização periódica do condomínio e a limpeza e os moradores cuidam da higiene de suas unidades e colaboram conosco na conservação das áreas comuns, respeitando as regras de descarte de lixo, por exemplo”, conta Lúcia. “Se cada morador fizer sua parte, manteremos o condomínio livre de pragas. Todos devem colaborar para o bem comum, o espaço do condomínio pertence a todos”, complementa.

Calendário de dedetização em dia é fundamental

Além da priorização da limpeza, organização das áreas comuns e conscientização de funcionários e moradores, o síndico deve estar sempre atento ao calendário de dedetização do condomínio. “Cada caso deve ser analisado individualmente: a frequência da imunização deve levar em consideração o tamanho do condomínio, a quantidade de moradores, as estruturas na vizinhança, o padrão construtivo, a presença de lixeiras ou compactadores e a frequência do recolhimento do lixo, entre muitas outras variáveis. Tudo isso deve nortear um projeto de controle de pragas,
que deve ser seguido à risca pelo síndico”, avalia Marcus Pires, diretor da Imuni Service UNIPRAG

A UNIPRAG está presente em 10 estados brasileiros e acumula mais de 50 anos de experiência no controle de pragas, oferecendo soluções eficazes e seguras para as pessoas e o meio ambiente. “As baratas, assim como outras pragas, precisam de acesso, abrigo, água e alimento para prosperar. Sendo assim, a preocupação imediata é com a limpeza e a organização das áreas comuns do condomínio. Manter a estrutura bem conservada, sem frestas e fendas, pode ajudar bastante”, explica Pires.

As mesmas recomendações para os condomínios devem ser colocadas em prática pelos condôminos, já que é muito comum a reclamação sobre unidades que podem estar “espalhando” baratas pelos corredores e contaminando outros apartamentos. “Tivemos conhecimento de um condomínio que sofria com infestação da barata francesinha, que não se resolvia de maneira nenhuma, mesmo com a contratação de empresas de desinsetização e o atendimento às recomendações do síndico. Um dos moradores percebeu que a unidade vizinha exalava mau cheiro e, com frequência,
baratas emergiam pelas portas. O síndico foi acionado e, em uma visita ao morador, descobriu tratar-se de um acumulador: o imóvel estava entupido de jornais, revistas, caixas de papelão e diversos objetos e era foco de uma infestação. O caso foi parar na Justiça e a unidade foi obrigada a limpar o apartamento e a mantê-lo limpo e livre de pragas”, conta Marcus.

Baratas transmitem doença

A dedetização de espaços comuns é obrigatória e está prevista nas Leis 1.353 e 7.806/17. Embora as baratas não mordam, elas podem carregar doenças como hepatite A, febre tifoide, tuberculose, lepra, diarreia, poliomielite e pneumonia.

Para Luiz Faria, gerente da Panabras, empresa que atua há 28 anos no controle de pragas, além da dedetização frequente e da limpeza do ambiente, alguns cuidados podem fazer a diferença: “Tampar ralos e dar uma especial atenção à caixa de gordura têm sua importância. Nas unidades, manter os alimentos guardados em recipientes fechados e conservar armários e dispensas sem resíduos são medidas que devem fazer parte da rotina”, ressalta

O profissional alerta para os cuidados que devem ser tomados durante a dedetização do condomínio. “Animais domésticos e crianças não devem circular pelo local imunizado durante a aplicação de venenos e produtos por cerca de quatro horas após o procedimento. Também é fundamental que o local seja arejado”, destaca.

Por se tratar de medidas que utilizam veneno e outros produtos químicos, a contratação de empresas especializadas e devidamente certificadas é muito importante. Apenas profissionais experientes têm conhecimento técnico para definir a dosagem necessária desses produtos e os locais indicados para sua aplicação. Por isso, todo cuidado é pouco!

Alguns fatos curiosos sobre as baratas

• As baratas são tão antigas quanto os dinossauros. Registros afirmam que o fóssil mais antigo de barata é de 200 milhões de anos.
• A antena da barata é seu grande diferencial, pois é por ela que o inseto sente gosto, cheiro e toque
• O poder de regeneração do corpo da barata é impressionante: ela pode sobreviver por vários dias sem a cabeça e, se perder uma das patas, consegue se regenerar em poucos dias.
• Baratas não dormem durante o dia, elas apenas se recolhem. Uma dica importante: se você costuma encontrar baratas andando pela casa de dia é provável que o local esteja infestado.

Cuidados importantes para ajudar no controle de pragas

• Busque sempre o suporte de empresas especializadas; cheque se elas estão com a documentação em dia para esse tipo de serviço.
• Avise com antecedência os moradores a respeito da realização do serviço. Lembre-se de divulgar os cuidados necessários com crianças e animais.
• Mantenha um calendário de dedetização para o controle preventivo; não espere a infestação acontecer para tomar providências.
• Invista na comunicação com moradores e funcionários a respeito dos cuidados no dia a dia, como não depositar lixo em local impróprio.
• Mantenha as tampas dos ralos e bueiros fechadas.
• Descarte com frequência embalagens, sacolas e caixas de papelão.
• Organize a escala de limpeza para que, no caso de eventos nas áreas comuns, como churrascos e festas, as sobras de alimentos sejam recolhidas e descartadas apropriadamente o mais rápido possível.

 

:: C I P A - Condomínios, Locações, compra e venda de imóveis, seguros ::
  • Rua México, 41, 2º andar - Centro - Rio de Janeiro - RJ
  • +55 21 2196 5000

CIPA na Rede

Receba Notícias