Blog Condomínio

Blog

Revista Condomínio Etc.

Baratas

Banner Revista

Vetores de doenças e de pânico, essa praga precisa ser combatida com frequência

Sem tempo para ler? Clique no play abaixo para ouvir esse conteúdo.

Uma coisa é certa: ninguém quer baratas por perto. E combatê-las é mais uma das tarefas dos síndicos. Angela Cardoso, síndica profissional e corretora de imóveis, não dorme no ponto no condomínio no qual é síndica e também moradora, o Espaço São Clemente. 

Lá a dedetização é quinzenal, e essa foi a forma que o condomínio encontrou para que as reclamações sobre baratas acabassem de uma vez por todas. O Espaço São Clemente tem dois blocos, 391 unidades, quatro andares de garagem e mais duas lojas no térreo, o que totaliza uma área de 44.800 m². Isso sem falar que há duas quadras poliesportivas, duas piscinas, sala de jogos, de ginástica, salão de cabeleireiro, sauna, dois salões de festas e um bar: “No bar, a dedetização é mensal por força da lei”, explica a síndica. 

Os locais mais problemáticos nesse condomínio – num passado distante – eram os dutos danificados das lixeiras dos andares e os poços dos elevadores, que, por vezes, acumulavam água. “Fizemos obras nos dutos, e os locais que estavam danificados (por onde o lixo passava) foram consertados. A manutenção nos poços foi intensificada e o problema também foi resolvido”, conta a síndica. 

As lixeiras centrais, que recebem o lixo dos dutos, são lavadas todos os dias e os recicláveis dos moradores são depositados separadamente em cada andar e recolhidos pelos faxineiros todos os dias. Dessa forma, esse condomínio se viu livre das temidas baratas. Ponto para ele!

A empresa Rio Facilities Dedetização aposta no serviço estratégico. Thiago Soares, sócio-proprietário da dedetizadora e há 16 anos no ramo, afirma: “O que garante a qualidade do processo não é a quantidade aplicada, e, sim, a qualidade da aplicação. Além disso, usamos produtos atrativos, isto é, o gel fica escondido e atinge sua função de atrair a praga e envenená-la sem contaminar o ambiente e comprometê-lo esteticamente também.” 

A Rio Facilities atende em todo o estado do Rio de Janeiro e usa produtos domissanitários e autorizados pela Anvisa e o Ministério da Saúde. “Os produtos evoluíram bastante, não se usa mais aqueles itens agressivos que geram intoxicação ou qualquer problema da saúde. E outro detalhe: em nosso trabalho, não deixamos dobradiças sujas de gel antigo, coisa que sempre vemos”, explica Thiago.

Para facilitar a vida de seus clientes, a Rio Facilities desenvolveu um contrato anual de que seus clientes gostaram muito: “Cobramos uma taxa única que pode ser paga em 12 meses e os condomínios clientes têm direito a duas limpezas nos reservatórios de água por ano (caixas-d’água e cisternas) e dedetização ilimitada contra baratas, ratos, formiga, traças, aranhas, pulgas e carrapatos. “A economia para o condomínio é bem interessante. A flexibilidade de agendamento, de acordo com a necessidade do condomínio, é um superdiferencial e atende à Lei nº 7.806/17 do estado do Rio de Janeiro, que diz que a dedetização deve ser mensal.” 

Os clientes da Rio Facilities têm uma pasta de documentação que fica no condomínio e na qual constam a documentação legal da empresa, o cronograma de atividade anual, as datas das visitas, os horários e o rol do que foi feito. “Isso gera transparência e representa o histórico de atividades, o que, na hora de trocar de síndico, por exemplo, ajuda bastante”, afirma Thiago, lembrando que eles entregam a seus clientes sempre um relatório de serviços que aborda todas as situações encontradas: condições sanitárias, estruturais (por exemplo, um portal de lixeira sem acabamento e com frestas. A barata se abriga ali com facilidade e isso ajuda na proliferação, além de ser um acesso para roedores). “Nosso trabalho não é só uma aplicação química. É uma parceria com o cliente para manter o ambiente longe de pragas. Detalhamos também a quantidade de produto aplicado, a concentração e a praga-alvo combatida no dia, bem como o nível de infestação”, conclui.

Há 27 anos no mercado, a Dedetizadora Freitas Costa tem tradição no controle de pragas e vetores urbanos como baratas, formigas, traças, pulgas, cupins e carrapatos e na limpeza de reservatórios de água e caixas de gordura. Roseli de Avelar, gerente comercial da empresa, diz que a pior inimiga para um prédio que quer se ver livre de baratas é a falta de limpeza: “Até o local que acondiciona o lixo deve ser limpo, porque recebe muitos detritos todos os dias. Aliás, recomendo até que o lixo reciclável esteja limpo, do contrário, deve ser retirado todos os dias dos andares.” 

Roseli diz que seus clientes costumam ser cuidadosos com a limpeza, “mas acho importante os síndicos manterem a visitação a esses lugares para ter certeza de que sua equipe deixa tudo limpo. Não adianta só dedetizar e não limpar. Tem que ter uma parceria. E os moradores devem colaborar com a questão da limpeza e acondicionar bem o lixo nas lixeiras dos andares”.

Na lixeira central, se o lixo reciclável ficar guardado esperando a coleta, a especialista recomenda que ele fique bem vedado para evitar a proliferação de pragas. 

A gerente da Freitas Costa explica que, nas áreas comuns, o tipo de veneno usado é o líquido, que é muito eficiente para as baratas que vêm do esgoto, das caixas de gordura e de tubulações. “São as famosas baratas voadoras (Periplaneta americana). Outra coisa importante: sempre avisamos os moradores para que tenham ciência e evitem circular com animais nos horários da aplicação. Quanto aos cachorros, recomendamos que eles só passem pelas áreas dedetizadas depois de uma hora do serviço feito, já que eles têm o olfato muito mais apurado do que o nosso. Não há risco de intoxicação e morte para os pets, mas, sim, de alergias por conta do cheiro forte. Estudos mostram que uma colher de café numa piscina é detectável por um cachorro, pois eles têm 300 milhões de células receptoras do olfato. Nós temos apenas 5 milhões”, ressalta ela, dizendo que seriam necessários 13 tubos de gel de 30 gramas cada um para começar a incomodar um cão, e isso ainda não é nem intoxicação”, revela.  

Depois das aplicações, a Freitas Costa faz o monitoramento da situação com seus clientes para verificar se a infestação foi controlada e se coloca à disposição para aplicar o reforço previsto no contrato, sem custo extra. “Emitimos certificado e entramos em contato após o prazo da assistência técnica para saber como estão as coisas e lembrar a necessidade de renovação.” Ela ressalta ainda a importância do contrato de manutenção “para que os serviços sejam realizados dentro dos prazos concedidos pelo Instituto Estadual do Meio Ambiente (Inea). 

Para atender aos prazos do Inea, Roseli recomenda o contrato de manutenção anual: “Ajuda muito nesse sentido. A periodicidade dos serviços é: dedetização e desratização, trimestral; limpeza de caixas de gordura/esgoto, quadrimestral; limpeza dos reservatórios de água, semestral.


Serviço: 

Rio Facilities Dedetização
(21) 3491-4668/(21) 98796-4195
riofacilitiesservicos.com.br

Dedetizadora Freitas Costa
(21) 3245-3843/(21) 99962-3488
freitascostaltda.com.br

 

Banner Porter
Compartilhar:
Comentarios 0 Comentários

deixe seu comentário

posts relacionados

Quer energia solar sem nenhum investimento?

Quer energia solar sem nenhum investimento?

A Hum Energia oferece Sem tempo para ler? Clique no play abaixo para ouvir esse conteúdo. A Associação Brasileira de Energia Solar Fotovoltaica (Absolar) encomendou um estudo que apontou... Saiba mais!

Condomínios apostam em sistemas de segurança em seu interior e nas ruas

Condomínios apostam em sistemas de segurança em seu interior e nas ruas

Câmeras permitem criar espaços seguros, monitorados 24 horas, todos os dias Quinta-feira, 9 de maio de 2022, um crime bárbaro chocou os moradores do Rio de Janeiro. Duas mulheres,... Saiba mais!

Não precisa pegar fogo

Não precisa pegar fogo

Manutenção preventiva e corretiva dos sistemas de incêndio deve ser rotina, e não emergência Sem tempo para ler? Clique no play abaixo para ouvir esse conteúdo. Aquela velha máxima... Saiba mais!

Prédio antigo não quer dizer caindo aos pedaços

Prédio antigo não quer dizer caindo aos pedaços

Imóveis não são descartáveis e precisam de manutenção e reformas para durar mais tempo Sem tempo para ler? Clique no play abaixo para ouvir esse conteúdo. Prédios clássicos, com... Saiba mais!

Cadastre-se em nossa newsletter e receba todas as novidades do Grupo Cipa em seu e-mail.

Close Bitnami banner
Bitnami