A gestão financeira do condomínio requer grande cuidado e precisa de atenção especial do síndico, ainda mais se houver necessidade de redução de gastos. Isso porque conseguir economizar no condomínio é meta impossível se não for integrada, ou seja, não houver apoio dos moradores, funcionários e gestores. Cada integrante deve fazer sua parte para que as contas e os gastos estejam sempre dentro do planejado.

Por esta razão, é de extrema importância para a saúde financeira do condomínio uma previsão orçamentária bem elaborada, que preveja os gastos, levando em conta itens como: inflação do período, inadimplência do condomínio, dissídio dos funcionários, férias e décimo terceiro, e contratos a serem negociados. Além disso, deve prever uma “folguinha”, para que o pagamento das contas não fique apertado.

O Panorama selecionou alguns itens que, se previstos e realizados, podem ajudar na gestão financeira do condomínio.

 

Funcionários

O impacto da folha de funcionários nas despesas é sempre significativo, em média de 60% dos gastos totais, e ajuda a manter o custo fixo elevado. Deve-se observar e controlar a rotatividade de mão de obra nas contratações e demissões no condomínio, já que o pagamento de indenizações trabalhistas encarece as despesas. Da mesma forma, deve-se também analisar o controle do número de funcionários necessário, além da rotina.

 

Fundo de reserva

A principal destinação do fundo de reserva é garantir a continuidade do funcionamento do condomínio, quando surgem despesas imprevistas e de urgência, sempre depender de elevadas cotas extras. Quando houver necessidade do uso desse fundo, uma votação em assembleia deverá ratificá-la, bem como deverá haver um planejamento para recompor o fundo.

A criação de outros fundos também é uma opção válida, preservando, desta forma, o fundo de reserva. A organização das contas e sub-contas na administradora é fundamental, principalmente para aqueles que têm uma grande estrutura de serviços e lazer. A aprovação de gastos nesses casos pode ficar mais fácil, pois, havendo saldo, a saída da verba é da conta específica de cada item.

 

Gastos com água e energia

A redução dos gastos com água e energia é importante para ajudar na saúde financeira do condomínio, pois em média representam 30% dos gastos.  Economizar nas contas é sempre positivo. Para isso, são aconselhadas campanhas internas de conscientização de funcionários e moradores. Além disso, é importante rever cobranças e tarifas junto às concessionárias.

 

Manutenção preventiva

A falta de manutenção pode transformar pequenos reparos, em grandes problemas, causando transtornos financeiros ao condomínio. Uma boa gestão deve prever a correção feita de forma preventiva, em equipamentos ou na estrutura do condomínio, que sempre será a forma mais econômica.

 

Compra de produtos e manutenção preventiva

Todas as compras do condomínio devem ser precedidas de pesquisa de preços e orçamentos. O ideal é apresentar algumas propostas para facilitar a comparação e a escolha. Rever constantemente os contratos de prestação de serviços também pode ser uma forma de economizar e de analisar a relação custo-benefício do contrato atual, em comparação com novas propostas.

Leia Mais: Convivência com animais de estimação nos condomínios. Clique Aqui!

:: C I P A - Condomínios, Locações, compra e venda de imóveis, seguros ::
  • Rua México, 41, 2º andar - Centro - Rio de Janeiro - RJ
  • +55 21 2196 5000

CIPA na Rede

Receba Notícias