Os poços artesianos têm sido vistos como forma de economia nas contas de água, diminuindo a dependência das companhias de fornecimento local. Se o condomínio conseguir manter sua subsistência com a fonte própria, terá como única despesa fixa a taxa regular de esgoto, minimizando a necessidade de contratar carros-pipa em épocas de racionamento.  A vida útil de um poço artesiano chega a 40 anos.

Os poços comuns, como cisternas ou cacimbas, raramente ultrapassam 20 metros, e os semi-artesianos não avançam os 30 metros. Já a profundidade de um poço artesiano convencional vai de 100 a 1.500 metros. A vazão de água é até mil vezes maior e sem necessidade de bomba d’água.

É necessária uma área mínima de 7 metros de largura por 25 metros de comprimento para instalação do poço artesiano, sendo imprescindível uma análise da adequação do terreno antes da perfuração. Todas as precauções devem ser tomadas para não abalar a estrutura física do edifício se o solo tiver risco de ceder.

 

Cuidados na instalação

A perfuração deve ser feita por empresa especializada, que deve estar cadastrada no CREA (Conselho Regional de Engenharia, Arquitetura e Agronomia) e contribuir para a Associação Brasileira de Águas Subterrâneas (Abas).  Além de ter seguro de responsabilidade civil geral para o caso de acidentes, a empresa também deve estar preparada para fornecer assistência técnica.

A estrutura técnico-operacional da empresa precisa ser avaliada na contratação, assim como deve ser confirmada a existência de um gerador próprio para testes de vazão. São mobilizados de 2 a 4 caminhões para operação, incluindo caminhões-pipa para fornecer a água necessária para os trabalhos de execução do poço.

 

Avaliação da escolha

A instalação de poços artesianos é uma medida com investimento alto, sem garantia prévia sobre o volume de água. Algumas das empresas perfuradoras fazem contratos de risco, em que o condomínio pagará apenas pela água recebida como resultado da empreitada, similar ao regime com as companhias de água.

Ao avaliar essa opção, não se pode esquecer de levar em consideração os custos para instalações hidráulicas de ligação à rede do condomínio. Há também as despesas geradas pela necessidade de compra, manutenção e energia elétrica de bomba d’água quando for um poço semi-artesiano, que é mais superficial e sem força para jorrar água naturalmente. Deve-se ter em mente também que a instalação de um poço artesiano poderá gerar alteração no seguro do condomínio.

As regras, autorizações e registros necessários para perfuração de um poço artesiano variam de acordo com o estado.

Leia Mais: Otimização dos elevadores reflete positivamente na economia de energia dos condomínios. Clique Aqui!

:: C I P A - Condomínios, Locações, compra e venda de imóveis, seguros ::
  • Rua México, 41, 2º andar - Centro - Rio de Janeiro - RJ
  • +55 21 2196 5000

CIPA na Rede

Receba Notícias