Não é necessário muito espaço ou estrutura para poder sentir o cheirinho das plantas crescendo em seu condomínio. Com um pouco de dedicação é possível unir o prazer de plantar, a interação entre condôminos e uma alimentação mais saudável.

Confira algumas dicas gerais para implementação do projeto, para ver aquela mudinha se transformar em parte da salada:

1. Espalhe a ideia entre os moradores e trabalhe para que seja aprovada. É necessário levar à assembleia para que não haja nenhuma questão depois. Se a horta for feita numa área não construída pode ser caracterizada como obra útil e ai basta a aprovação da maioria simples. Porém, se o plano é fazê-la em algum local já construído, o quórum necessário para aprovação será de dois terços dos condôminos, conforme artigo 1.341 do Código Civil.

2. Dependendo do tamanho da horta, será necessária a análise sobre a contratação de um jardineiro. Os cuidados são simples: molhar, tirar plantas daninhas e, claro, colher. Mas será que os moradores dão conta do recado?

3. Poda da horta pede cuidados: deve ser feita um dedo rente ao solo, para que a planta cresça corretamente.

4. Lembrem-se de que o combate às pragas também é fundamental. Ele pode ser realizado por meio da rotação das culturas e isso evita, também, o desgaste do terreno. Mas há também alguns produtos no mercado que são bastante indicados para este fim.

5. É necessário estabelecer um planejamento com as escalas de plantio e de rega da horta para não faltar nem exagerar na água. Quando for a época da colheita, marque um dia e horário para os moradores que quiserem participar consigam se programar. Mas lembre-se, o sentido da horta é ser comunitária; deixe-a livre caso alguém precise de algum dos alimentos.

anuncio-geral

6. O local escolhido para a horta deve receber muitas horas de sol por dia, o que inviabiliza o uso de áreas na sombra a maior parte do tempo. Se o piso não receber sol, mas as paredes sim, é possível colocar os canteiros no alto.

7. Para evitar vandalismos, é bom que a horta seja filmada pelo CFTV. Dessa forma, a segurança do espaço está assegurada.

8. O ideal é que sejam plantadas ervas, temperos e chás. Hortaliças demandam mais atenção e cuidado. Divida as plantas em dois grupos: as que precisam de profundidade maior que 60 cm (manjericão, louro, pimentas, capim cidreira, alecrim etc.) e as que não precisam (cebolinha, orégano, salsinha, coentro, tomilho, hortelã, manjerona etc.).

9. Em alguns condomínios, quando os temperos estão prontos para o consumo, o responsável pela horta colhe e envia às unidades o produto. Em outros, os condôminos são livres para se servir dos frutos da horta sempre que quiserem. Há também a possibilidade de um morador escolhido separar o que foi colhido, e distribuir às crianças do condomínio. Basta escolherem juntos o que melhor se adequar à realidade.

 

 

:: C I P A - Condomínios, Locações, compra e venda de imóveis, seguros ::
  • Rua México, 41, 2º andar - Centro - Rio de Janeiro - RJ
  • +55 21 2196 5000

CIPA na Rede

Receba Notícias