Blog Condomínio

Blog

Blog

Acidentes fatais com gás

Anuncie Aqui

Sem tempo para ler? Clique no play abaixo para ouvir esse conteúdo.


Infelizmente a manutenção ou mesmo adequações de segurança em sistemas de gás só são valorizados quando há notícias de vítimas fatais.

O fato é que estas mortes poderiam ser evitadas se as normas de segurança estivessem sendo cumpridas.

Entenda o que pode e deve ser feito para garantir sua segurança.

Acidentes fatais com gás lembram da necessidade da vistoria

Diversas podem ser as causas de mortes envolvendo gás. Vazamento, transbordo de monóxido de carbono (produto da combustão resultante da queima) e até mesmo explosão.

É importante que todos os moradores estejam atentos às suas instalações de gás porque acidentes desse porte podem atingir dimensões incalculáveis.

O grande problema que pode matar é que o monóxido de carbono não tem cheiro. O gás combustível tem cheiro, fica mais fácil de perceber que há algo errado, sendo encanado (Gás Natural – GN) ou de botijão (Gás Liquefeito de Petróleo  – GLP) .  

Todos os três envenenam e podem matar se houver acúmulo no ambiente. A asfixia/envenenamento se dá de forma rápida e por isso deve-se cumprir rigorosamente as orientações da companhia de gás. Tanto de instalação quanto de manutenção.

A instalação errada e a falta de manutenção dos equipamentos são as principais causas dos acidentes envolvendo gás.

 

Instalação

Somente um profissional qualificado pode instalar um aparelho de gás. Se mal instalado, o equipamento pode não funcionar corretamente e causar sérios acidentes.

Todos equipamentos que usem gás, sejam eles, aquecedores, fogões, churrasqueiras, aquecedores de ambientes entre outros,  devem estar instalados corretamente e de acordo com as normas técnicas vigentes (NBR 13103 da ABNT) além de regulamentos específicos locais, entre eles, normas do corpo de bombeiros da concessionária de gás e/ou do código de obras do município.

 

Manutenção

A Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT) recomenda que a manutenção seja feita por fabricantes ou técnicos ao menos uma vez por ano. Cada morador deve fazer a sua parte para evitar problemas não só para si, mas para a coletividade.

Numa visita de manutenção o especialista deve checar terminais, tubulações, registros de água e gás, e acessórios como pressurizadores, entre outros. Deve garantir que:

  • Acessórios, como mangueira e regulador de pressão, estejam dentro do prazo de validade – cinco anos.
  • As conexões estejam ajustadas;
  • As tubulações estejam instaladas em conformidade com as normas da ABNT; 
  • Haja a ausência objetos sobre ou sob os dispositivos, por exemplo, fogões, chuveiros, torneiras etc.
  • O duto de exaustão esteja instalado corretamente e em bom estado, que esteja em conformidade com as especificações do manual e com as normas e regulamentações de instalação vigentes. (Os dutos devem ter o diâmetro correto de acordo com o modelo do aquecedor, respeitar comprimentos, inclinações, curvas e outras determinações do manual do fabricante e estar devidamente conectados ao terminal de exaustão, que também deve estar instalado apropriadamente).

 

Atenção

Todo e qualquer sinal de anormalidade deve ser observado. Seja ele um barulho, um cheiro forte, uma faísca ou mesmo um ligar ou desligar sozinho.

Em qualquer situação fora do normal toda atenção é pouca:

  •         Não ligue ou desligue luzes;
  •         Não use fósforos ou isqueiros;
  •         Abra imediatamente todas as janelas;
  •         Feche válvulas de gás dos equipamentos;
  •         Saia do ambiente;
  •         Peça ajuda ao Corpo de Bombeiros ou à emergência da concessionária de gás.

 

Os sistemas utilizados atualmente para uso de gás em condomínios são:

  • GN (Gás Natural): Um sistema do fornecimento de gás contínuo, sendo distribuído diretamente das concessionárias ao empreendimento por meio de rede de gás canalizado. Nesse sistema, a medição é individualizada e a cobrança é mensal.
  • GLP: Esse sistema requer a instalação de cilindros (botijões) de gás, normalmente no térreo da edificação ou dentro de cada apartamento (conforme Decreto Estadual nº 897). O abastecimento é periódico, feito por caminhões das concessionárias.

 

Obs.: O GN e o GLP alimentam o aparelho para produzir a chama, têm cheiro característico e, por sua natureza, são inflamáveis. Por isso, o risco de vazamento e acúmulo de gás combustível está associado ao perigo de incêndio e/ou explosão.

 

 

 

Banner Revista
Compartilhar:
Comentarios 0 Comentários

deixe seu comentário

posts relacionados

Prefeitura do Rio aprova lei que obriga síndicos a denunciar maus-tratos a animais

Prefeitura do Rio aprova lei que obriga síndicos a denunciar maus-tratos a animais

A Prefeitura do Rio sancionou a lei 7.053/2021 que obriga síndicos de prédios residenciais e comerciais a denunciar maus-tratos a animais. A referida lei foi sancionada pelo prefeito Eduardo... Saiba mais!

DeCAD: Prefeitura do Rio abre declaração para imóveis sem inscrição imobiliária

DeCAD: Prefeitura do Rio abre declaração para imóveis sem inscrição imobiliária

Donos de casas e apartamentos que não possuem inscrição imobiliária individualizada no Cadastro de Contribuintes do IPTU do Rio de Janeiro poderão apresentar, a partir do dia 13 de... Saiba mais!

Saiba como a Cipa Imóveis te ajuda a alugar um imovel mais rápido

Saiba como a Cipa Imóveis te ajuda a alugar um imovel mais rápido

Alugar um imóvel é muito mais rápido e fácil com a Cipa Imóveis. Confira o post e veja como podemos ajudar!

O que priorizar na hora da mudança

O que priorizar na hora da mudança

O dia da sua mudança está chegando e você não sabe por onde começar? Confira este texto e descubra o que priorizar neste momento!

Cadastre-se em nossa newsletter e receba todas as novidades do Grupo Cipa em seu e-mail.

Close Bitnami banner
Bitnami