Blog Condomínio

Blog

Notícias

Portaria virtual vale a pena?

Soluções completas para seu condomínio

O morador direciona o rosto para uma câmera, que reconhece sua face ou o desenho de sua íris e abre o portão automaticamente. Ao posicionar a digital ao lado de uma catraca, o acesso é liberado, deixando um registro do dia e horário da ocorrência. Com o toque de um chaveiro magnético, a porta do apartamento é destravada.

Há poucos anos, ferramentas desse tipo eram consideradas tecnologias de filme de ficção científica. Entretanto, inovações no mercado condominial têm tornado a segurança predial cada vez mais conectada às necessidades dos novos tempos. O sistema de portarias virtuais, por exemplo, vem chamando a atenção de síndicos e demais gestores como uma solução eficaz e com bom custo-benefício.

Para quem ainda não está familiarizado com a ferramenta, o processo funciona de modo similar ao de uma guarita tradicional. A diferença é que o contato com visitantes é feito por um operador que atua em uma central de monitoramento, muitas vezes a quilômetros do local.

O profissional tem acesso às imagens em alta definição, em tempo real, e pode falar com os moradores da unidade por interfone a fim de verificar se o acesso está autorizado ou não.

Ocorrências fora do padrão são analisadas rapidamente pelo operador, que pode acionar o morador, uma patrulha de segurança ou mesmo a polícia.

“A central vai aplicar todos os procedimentos básicos. Em uma guarita ou em uma portaria virtual, ninguém pode entrar sem antes ser autorizado, avisado, conhecido ou reconhecido”, explica o especialista José Antônio Caetano, diretor-executivo da Haganá Segurança.

Em sistemas desse tipo, o acesso dos moradores é feito geralmente por senha, biometria, cartão e chaveiro magnético, mas o recurso mais avançado é o reconhecimento facial.

As câmeras são ligadas a computadores que medem as proporções dos rostos dos usuários de maneira ágil – um modelo de checagem análogo já é utilizado em pelo menos 14 aeroportos brasileiros, cruzando dados da Interpol e da Receita Federal. Com a entrada automatizada de moradores, o que muda efetivamente é o atendimento aos visitantes.

Mas, se há ganhos em segurança, o que mais chama a atenção de muitos optantes pela portaria virtual é a redução nos gastos com pessoal, considerados o custo mais relevante de boa parte dos condomínios.

Fonte – Secovi Rio

Bem estar e segurança
Compartilhar:
Comentarios 0 Comentários

deixe seu comentário

posts relacionados

Conta de luz até 30% mais em conta nos condomínios

Conta de luz até 30% mais em conta nos condomínios

A conta de luz do seu condomínio está sempre alta? Pois uma das maneiras de reduzir custos e de investir em uma alternativa que una eficiência energética e preocupação... Saiba mais!

Taxa de Incêndio começa a chegar para contribuintes do Rio

Taxa de Incêndio começa a chegar para contribuintes do Rio

Cobranças referentes à Taxa de Incêndio de 2020 começam a chegar às casas dos contribuintes do Estado do Rio. O vencimento, inicialmente previsto para abril, foi adiado em razão da pandemia do coronavírus. Os pagamentos,... Saiba mais!

Condomínios e síndicos mais seguros no Rio

Condomínios e síndicos mais seguros no Rio

A pandemia tem causado impactos emocionais e financeiros no país e no mundo. Com isso, os milhares de condomínios espalhados pelo Brasil também tiveram problemas de caixa. De acordo... Saiba mais!

Como organizar o seu home office

Como organizar o seu home office

O que era para ser temporário, para muitos agora será permanente. O home office, que ganhou espaço na pandemia por causa do isolamento social, precisa ser bem planejado e... Saiba mais!

Cadastre-se em nossa newsletter e receba todas as novidades do Grupo Cipa em seu e-mail.

Close Bitnami banner
Bitnami